MotorDream

  • feed
Testes

VW Fox - Reação ao novo

27/10/2009 00:01  - Fotos: Divulgação
Envie por email

VW Fox - Reação ao novo

Volks renova visual do Fox para enfrentar a ameaça que vem do Sul

por Eduardo Rocha
MotorDream


A Volkswagen adiou a renovação do Fox até não poder mais. Ou, mais especificamente, até aparecer um adversário capaz de realmente rachar o mercado. O hatch altinho da Volks, lançado em 2002 no segmento estilosamente chamado de "high roof", agora vai enfrentar o Agile, modelo feito na Argentina pela Chevrolet. A rigor, o Fox já tinha o Renault Sandero em seu encalço, mas o poder de fogo da marca francesa é menor: ela tem um quarto das concessionárias da Volkswagen e uma tradição pequena no Brasil. Já o Agile, além da força da novidade, tem bom acabamento, estilo moderno e ótima relação custo/benefício.

 
Em relação ao preço, a Volkswagen decidiu confiar na força de sua marca. Manteve a mesma lógica da tabela antiga, tanto em valor quanto em equipamento. Começa nas versões 1.0 e 1.6 trazendo de relevante apenas direção hidráulica, lavador/limpador traseiro, conta-giros e pneus 195/55 R15. A versão 1.0 é a única com carroceria de duas portas disponível e seu preço inicia em R$ 29.900 e vai a R$ 31.830 com quatro portas. A versão 1.6 sai a R$ 34.800 e pode receber câmbio automatizado i-motion, o que eleva seu preço para R$ 37.290.

A configuração básica pode receber o pacote Trend, que custa R$ 2.470 e inclui itens como faróis de dupla parábola, antena no teto, preparação para som e alguns detalhes de acabamento diferenciados. A versão mais luxuosa foi batizada de Prime e recebe, além do pacote Trend, aerofólio traseiro com brake-light integrado, volante com ajuste de altura e profundidade e no estilo do usado no Passat CC, aquecimento interno e faróis e lanternas de neblina, além de adereços visuais. Os preços são de R$ 36.690 para a versão mecânica e R$ 39.400 para a i-motion. Esses valores deixam o Fox em flagrante desvantagem em relação ao Agile LT, que tem motor 1.4 e começa em R$ 37.708, já com quatro portas, ar-condicionado, cruise control, faróis automáticos, vidros dianteiros elétricos, computador de bordo, travas elétricas com controle remoto, direção hidráulica, lavador/limpador traseiro, etc. 

As mudanças promovidas pela Volkswagen tentaram, então, se concentrar nos outros pontos em que o Agile se mostrou forte. O Fox pós-face-lift é o primeiro modelo feito no Brasil que apresenta a nova cara da Volks, inaugurada na Europa pelo novo Polo. Os faróis são mais afilados e angulosos e junto com a grade principal bem estreita formam um conjunto de visual agressivo. O interior do conjunto ótico foi especialmente esculpido, para transmitir a ideia de requinte e modernidade. Abaixo do para-choques, uma grande entrada de ar com tela negra, em colmeia, afina bem a parte frontal e reduz a sensação de monovolume que o antigo Fox passava. Na traseira, as mudanças foram bem mais modestas. No centro da tampa traseira, o que era uma sutil dobra virou um vinco. As lanternas fumê ganharam nova partição das seções.

As maiores mudanças, porém, foram no interior. Tanto pelo acabamento quanto pelo conteúdo disponível. Nos painéis das portas, antes totalmente em plástico, há agora uma parte coberta em tecido. Todo o acabamento do interior foi bastante melhorado. Agora conta, inclusive, com porta-luvas com tampa. O painel também evoluiu sensivelmente. Como no caso do volante da versão Prime, tem desenho que lembra o do Passat CC. Apesar das melhoras evidentes, a reação da Volkswagen dificilmente vai evitar que o Agile morda um pedaço das boas vendas do Fox. A não ser que a Volks assuma uma postura mais agressiva na política de preços.


Primeiras impressões

Questão de oportunidade

Vinhedo/São Paulo – Tudo em hora e lugar. Mas para testar um Volkswagen Fox, uma pista de kart, por mais caprichada que seja, não é o lugar. Em hora nenhuma. É o caso da pista construída na Fazenda Capuava, que pertence à família Diniz – donos, entre outras coisas, dos Supermercados Pão de Açúcar. A engenharia da Volkswagen jura que o novo Fox ganhou um novo acerto de amortecedor que o deixou mais firme. E foi mesmo essa impressão que o carrinho deu na pista. Rolava pouco nas curvas – que eram feitas, no máximo, a 80 km/h. Mas como não havia nenhum trecho que se pudesse trafegar acima de 100 km/h em terreno normal – ou seja, ondulado –, a promessa da engenharia não pôde ir à prova. Pelo menos o câmbio i-motion, principal novidade mecânica no "novo Fox". se mostrou bem harmonizado com o propulsor 1.6.



Outra novidade foi a explícita melhora no acabamento interior. Acompanhada, nos modelos disponíveis para teste, de um recheio digno de automóveis de segmentos superiores: sensores de chuva, de iluminação e de obstáculos traseiros, teto solar, volante multifuncional etc. Mas desde o modelo básico, há um capricho notável. Áreas de lataria cobertas, tecido nos painéis de porta, porta-luvas com tampa, texturas mais agradáveis nos plásticos do painel – que ganhou um desenho bem interessante, com dois relógios grandes, com dois pequenos, descentralizados, dentro de cada um. Estão ali velocímetro, conta-giros, termômetro do motor e medidor do nível de combustível. No mais, o mesmo espaço generoso e amplo que acompanha o Fox desde seu surgimento, sete anos atrás.

Comentários

Existem 1 comentários
#1 - rafael nunes carvalho
05/11/2009 - 10:23

muito bonito esse carro

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MortorDream - Rua Goethe, 55 Botafogo - Rio de Janeiro , RJ - Cep: 22281-020 Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.953434, -43.194393
Webroom - soluções interativas